segunda-feira, 30 de março de 2009


OS FAVÉLICOS
-
Com os lixos da cidade são confundidos
Entre eles, uma única diferença
Uns são lixos mortos
E outros são lixos vivos

Caminham com pés descalços
Em busca de algum lixo para se alimentar
Procurando por algo que os mantenha vivos
Procurando por algum canto para descansar

Ao som dos carros da cidade
Na fumaça dos carros
Na poluição da fumaça
No chão imundo da calçada

No gole ardente de uma bebida
Na cola do sapateiro da esquina
Na bolsa da senhora despercebida
No canto das nossas cidades, essa gente grita

Por socorro àqueles que não os ouvem
Por um prato de comida àqueles que não lhes vêem
Por uma moeda àqueles que nunca têm
Por uma mão estendida, mas essa mão eles nunca vêem

A cada dia tornam-se mais marginalizados
Mais até do que os consumidores de drogas proibidas
Pois de proibidas, elas nada têm
É apenas mais uma hipocrisia em nossas leis

Vivem em situações desumanas
Mas para algo eles significam
Pois representam a escória de uma sociedade falida
Restos humanos, esquecidos, vítimas da covardia do poderio da minoria rica

Uma minoria que detêm um sistema que te escraviza
Até você perder a sua casa, renda e família
E uma vez largado no meio do caos
Ninguém te reconheceria
Nem mesmo Deus, Jesus Cristo ou Nossa Senhora de Aparecida

Ninguém te pagaria uma bebida
Ninguém te daria um prato de comida
Ninguém te arrumaria um mísero centavo
Ninguém apontaria na sua direção um braço
-
DANIEL BEDOTTI SERRA
30/03/2009

5 comentários:

Marília PSH disse...

Não curto generalizar essa parada.
Conheço gente que mora na favela por opção, estudou, trabalhou, mas la encontrou amigos de verdade.
Tem gente que simplesmente curte a simplicidade e o verdadeiro Brasil que existe na favela.
Acho fácil lamentarem pela vida que tem e não irem atras, pq quem quer, seja da favela ou filho de papai, vai atras.
E quem QUER de verdade vence na vida e isso não significa ter que sair da favela, mas significa se sentir bem e ponto sendo na ponte, na favela, no sobrado ou no condominio de luxo.
Desculpa! eu sempre vou ter que falar o que acho.
te amo Dani Dani.

ju mancin disse...

quem fez o desenho???

Anne Lieri disse...

Daniel,uma poesia que lemos ouvindo um rock na mente...muito legal!Abraços,

Solange Maia disse...

Daniel,

Que sou sua fã, você já sabe...

Você fala tão diretamente de assuntos polêmicos que inevitavelmente me faz ler duas ou três vezes os seus textos.

Faz uma linda mistura de poesia com realidades duras de tratar.

É essa invisibilidade que me entristece... ~mas, como sou uma otimista incansável, a gente pode tentar fazer a nossa parte...

Ah.... vi que foi lá no cantinho que fiz prá minha pequena... a gente se diverte com eles, não é não ?

Adorei sua visita, viu ?

Beijo especial,

Solange

http://eucaliptosnajanela.blogspot.com

e intimamente :
http://bebelaemcontagotas.blogspot.com

Philip Rangel disse...

Hum grande rock ne...nao tinha visto ainda