quinta-feira, 5 de março de 2009


NO MEIO DO NADA!

Às vezes a gente é tudo
Mas às vezes a gente é NADA na vida de alguém

Agradamos a alguns
Desagradamos a outros
Cada um analisa a gente sob uma ótica diferente
Todo mundo pensa diferente

O julgamento é inevitável

Por muito tempo eu achei que estivesse no caminho certo com relação às pessoas, com relação ao jeito como as pessoas mais próximas me analisam, e gostam de mim.
No sentido de ser agradável.

De repente tudo ruiu
A casa caiu pelo telhado
O que era verdade virou mentira
E eu passei a vagar no meio do espaço

O amor já não era o mesmo dos velhos tempos
Aliás, os velhos tempos estão enterrados
Só habita o amor verdadeiro dentro dos romanticos ultrapassados

Eu sou um deles

Há tempos quando tento agradar não reconheço mais intimidade
Se desagrado o resultado é imediato
Larguei mão
Deixei o vento me guiar a passos largos

Com tanto tempo de caminhada
Percebi que só falta uma coisa real
A felicidade ao meu lado
Mas isso não parece mais real

Como é difícil dividir
Partilhar um propósito
Crescer junto
Separado sempre é mais fácil
Mas quem quer morrer só?
Talvez só o Diabo

Eu quero festa
Gente com luz no meu espaço
Dividindo o que há de bom
E aos poucos eu me encaixo

Eu quero você!
Pra sempre.


DANIEL BEDOTTI SERRA

Um comentário:

raTo! disse...

as vezes a gente acerta... as vezes a gente erra! faz parte do show.

a vida não é só de acertos!

abraxxx