segunda-feira, 9 de março de 2009


CONVERSA DE BAR

Calor infernal em meio a um dia confuso
E cheio de problemas resolvo parar
Sentar num bar
Pra uma gelada tomar e me refrescar

A cabeça funciona melhor
O dia corre mais tranquilamente
A bebida seca o suor
E dilata a mente

De repente, alguém me pergunta se pode me acompanhar
Digo "sim"
Era um senhor que puxou sua cadeira
Pediu uma cerveja e começou a falar

Apresentou-se a mim -
"Meu caro, meu nome é Deus,
E estou à sua disposição
Para uma prosa começar.
Fique a vontade, meu rapaz!"

Fiquei desconfiado e pensei -
"Esse tiozinho tá bem loko!"
Cinco segundos após eu pensar, ele disse -
"Não sou louco, só queria prosear um pouco"

Fiquei sem graça
E ele insistia -
"Não seja desconfiado, meu rapaz!
"Você não reza para mim todos os dias?"

Pensei - "Vixi, essa breja têm alucinógenos!"
E mais uma vez ele retrucava -
"Não têm nada aí, meu rapaz!
Você que é teimoso pacas"

Desisti!
Esse era Deus mesmo
O que não entendo é porque bem comigo
Perderia seu precioso tempo?!

Então fiquei na minha
Deixei que ele falasse um pouco
Falou sobre a vida na Terra
E como os bons homens eram poucos

Aproveitei e pedi desculpas
Por todos os meus erros
Atitudes erradas
Admitindo no último ano poucos acertos

Ele disse - "Relaxa!"
Relaxa? Eu pensei
"Só isso?" - Perguntei
"Quando se é bom o problema passa"

Então, tudo bem!
Falou-me sobre o passado, o presente e o futuro da humanidade
Sobre política e mulheres
Sobre drogas, bebida e caridade

Coincidência ou não
Ele falava sobre coisas do meu interesse
E eu acreditando que aquilo tudo
Parecia como uma intuição, mas presente

Por alguma razão
Deus teve vontade de falar comigo
Num papo informal
Mas cheio de informações
Para o meu crescimento espiritual

O problema é que quando percebi
Tínhamos tomado umas doze cervejas
Eu já estava ficando bêbado
E Deus também para minha surpresa

As risadas tornaram-se altas demais
Deus já não se segurava
Batia o copo na mesa
E pedia pro garçom trazer mais

Eu estava tão bêbado que falei pra Deus -
"Mano, você só pode ter fumado um baseado!"
Deus olhou sério para mim
E de repente caiu na gargalhada que nem um retardado
Eu fiquei aliviado

A prosa foi seguindo
A conversa era leve e eu estava relaxado
Deus não deixou eu pagar a conta
E, bêbados, saímos abraçados

Há tempos eu não me divertia assim com um amigo
Falamos sobre tudo que se pode imaginar
Até que apareceu um mendigo
E Deus tirou uma nota de R$ 20,00 reais e deu ao menino

Ficou um pouco entristecido
E disse - "Veja o que os homens fazem, olha o estado desse mendigo
Acabam com o planeta que eu criei
Com o meio ambiente e ainda me culpam, meu amigo!"
"Então porquê o senhor não evita isso?" - Perguntei eu
"Por causa do livre arbítrio" - Respondeu Deus

Deus olhou nos meus olhos
Em tom de despedida
Deu um sorriso leve e aliviado
Como se parecesse que a mensagem por mim foi entendida

Deu-me um forte abraço
Amassando até as minhas vestes
Virou-se e disse -
"Até de noite quando ouvirei suas preces"

E ele se foi
Continuei olhando-o até sumir
Pensando em tudo aquilo
Que acabava de ouvir e sentir

Era mesmo Deus
E tenho certeza que o encontro foi programado
Tentando me mostrar em algumas horas
O quanto o ser humano pode viver errado

Parece que ele me dizia
Para eu olhar pelo ângulo inverso
Daquele que eu tanto insisto
E sempre me ferro

E eu fiquei pensando
No quanto egoísta eu estou sendo
Achando que tudo tem que ser do meu jeito
Apenas olhando, julgando e às vezes até desmerecendo

Como se eu fosse Deus na verdade
Quando na verdade eu não estava sendo nem eu
Porque em algum lugar desse mundo
A minha mente me esqueceu

E quando a gente se esquece da gente
Outra coisa aparece para nos guiar
Como o brinquedo que a porcelana do "Vale das bonecas" *
Veio a se tornar

Deus realmente existe
E veio, da melhor maneira possível, me mostrar
E de uma forma descontraída, sem cobranças
O que é preciso fazer, numa simples conversa de bar.

* Postagem do dia 02/03/2009
Vale das bonecas

DANIEL BEDOTTI SERRA
02/03/2009

3 comentários:

raTo! disse...

ahahaha, fazia tempo q eu não escrevia nada assim, qdo sim, era meio deprê.

mas e este seu post? não entendi nada.

abraxxx,

Lucas B. disse...

Dan é simples o entendimento desse texto a partir de quem te conhece, e mesmo de quem não viva o seu dia a dia, mas que tenha o mínimo de percepção da metamorfose que ocorreu com você mais de fora para dentro do que de dentro para fora. Certamente esse texto mostra que você percebeu que as circunstâncias te levaram a uma mudança até então radical dentro da sua mente rígida e fechada para outras "verdades" que não eram as suas.
Você em um momento do texto pede desculpa e admite que acertou pouco no último ano, o que me leva a pensar que esse "excesso" de erros é o que te faz de fato evoluir como pessoa, os acertos sinceramente não valem de nada, não ajuda nada, não estimula a reflexão. E coisas boas todos esquecem rapidamente.
Esse seu texto mostra bem que você quer expressar que você ainda está em uma luta interna, psicológica e moral para se livrar daquele estereótipo do bom moço, que lembramos que isto é um fardo enorme para uma pessoa carregar, qualquer pessoa.
Claro, que a luta interna para ser menos autoritário em relação às verdades que acreditamos cegamente é algo para muito esforço, porém quando você diz que "Deus" veio da melhor maneira possível te mostrar o que é preciso fazer eu vejo que de uma maneira menos poética e mais objetiva, chama-se autocrítica, importante instrumento para corrigir os desvios de uma linha evolutiva enquanto pessoas para com outras pessoas.
Portanto, continue quebrando esse paradigma de ser correto sempre, isso só leva a pessoa a uma falsa sensação de superioridade moral, só traz julgamentos pré-concebidos de maneira pejorativa sempre ao outro, e não nos ajuda em nada na estrada de crescimento interno.
Eu acredito sinceramente na sua mudança, e quero te ver com mil faces, mil lados, mil ângulos diferentes daqui para frente, "do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo".

Daniel disse...

Valeu Lucas.
Nem eu percebi que estava querendo dizer tudo isso quando fiz essa "poesia". Mas lendo o que vc escreveu, foi como se um alivio imediato percorresse pelo meu corpo, quase lágrimas saíram dos meus olhos, pq só eu sei como não é fácil, e s;o eu sei a fase que vivo desde o ano passado. Mas sinto uma mudança a caminho, e é isso que me faz continuar.

Valeuuu
Vou tentando levar a vida de maneira mais leve.