quarta-feira, 5 de março de 2008


DISTÚRBIO PSICODÉLICO

Quando eu nasci eu deveria ter gritado para que jogassem o cordão umbilical de volta para eu poder subir novamente, mas não, resolvi enfrentar meu karma de forma prepotente e orgulhoso, achando que tudo seria fácil.

Em pouco tempo me dei conta de que o mundo estava perdido e o pior é que eu estava perdido no meio do mundo, mas aí já era tarde e não tinha mais como voltar. Só me restava achar uma solução para toda aquela loucura.

Nos meus primeiros passos eu achei que fosse um gênio, assim como John Lennon achou que fosse um dia, tinha certeza que meus sonhos se realizariam, o que de fato não ocorreu, e hoje estou atormentado, da mesma maneira que Nietzche estava quando acabou sua vida.

Vivi uma fantasia durante muitos anos, acreditando que me escondendo do mundo seria muito mais fácil viver, mas descobri que assim não se vive a realidade, e a realidade é dura e cruel, sendo assim, primeiro tive que desmistificar os mitos e comecei assassinando Lennon, acabei com o "Deus" e o transformei na verdade naquilo que ele nunca deixou de ser, um ser humano cheio de defeitos, como eu, pra depois começar o meu tratamento espiritual.

É engraçado como passamos a vida inteira querendo ser outra pessoa, qualquer pessoa, menos a que somos, também queremos ter justamente aquela pessoa que não nos quer, enquanto tem sempre alguém que quer ser a gente e quer nos ter, mas não a queremos. É contraditório demais para minha sanidade mental.

Ontem, depois de muito tempo, me apaixonei novamente pela mesma figura angelical que me destruiu três anos atrás, apenas com nome e endereços diferentes, ou seja, nada mudou, conheço bem essa estória, e digo isso porque o final é sempre igual e doloroso, nada é pra sempre mesmo.

Há muito tempo deixei de ser único pra ser apenas mais um. Será isso uma forma de defesa ou apenas incompetência mesmo? Não sei!

O que aconteceu comigo? O que aconteceu com as pessoas que viviam ao meu redor? Pra onde foram meus amigos de infância? Pra onde foi a minha infância? Pra onde foram minhas convicções, minha ideologia e minha crença? Porque tanto demora meu anjo da guarda pra voltar? São os conselhos dele que me guiam, e a muito não sei o que é ser guiado, e quando não se tem o controle da situação, estamos sujeitos a sermos guiados por outras coisas e pessoas.

O barulho agora, por causa dessa paranóia, é ensurdecedor nos meus ouvidos. As cores mudam rapidamente enquanto eu me perco tentando entender os seus significados. Meu coração começa a bater mais rápido. Chove lá fora enquanto perco meus sentidos devagar, mas quando os tenho novamente me dou conta de que era apenas uma música. I AM THE WALRUS!!!

DANIEL BEDOTTI SERRA
23/11/2006

2 comentários:

Mayara Hopp disse...

Como é que vc sempre me diz?
Que a vida é dura né!?
Talvez isso faz com que aprendemos mto sobre ela, torne nossas conquistas mais valiosas e damos mais valor ao que temos...

=]

e eu devia estar fazendo greve hj, pq ontem vc viu o meu e nem comentou ahuuahauhauhahu
beijos xixi

Lucas Bedotti disse...

Salve salve Dani!
Uma música aqui para você que parece com o que você escreveu!

Na parede o sinal da cruz, que porra é essa?
Que mundo é esse? Onde tá Jesus?
Pôrra, eu tô confuso, preciso pensar, me dá um tempo pra eu raciocinar
Eu já não sei distinguir quem tá errado, sei lá, minha ideologia enfraqueceu:
Preto, branco, polícia, ladrão ou eu, quem é mais filha da puta, eu não sei!
aí fudeu, fudeu, decepção essas hora...
a depressão quer me pegar vou sair fora...