terça-feira, 11 de agosto de 2009


PRESENÇA

O assunto hoje é bem pessoal, e entendo perfeitamente que pode não interessar a ninguém, além da minha família, mas como a maioria das famílias tem um "José" em casa, e normalmente com idade, segue o relato:

A presença dele aqui tem sido constante desde um mês atrás. Não só comigo, mas com todos da minha casa, e talvez até do resto da nossa família, mas não posso afirmar pois ainda não perguntei pra mais ninguém.

Uma das últimas mensagens que tive através de amigos do Centro que frequento era para que eu contasse sempre até 10 quando estive perdendo a cabeça, e se precisasse, caso 10 não fosse suficiente, que contasse até 1000, mas para nunca perder a cabeça. Infelizmente não me lembro se tinha mais alguma coisa, mas quem veio me trazer a mensagem disse que eu precisava ouvir enquanto fosse tempo, porque ele estava preocupado e uma hora não estaria mais aqui comigo para ajudar, pois teria de seguir a sua evolução (seria a evolução a reencarnação? Não saberei ao certo!).

Vale lembrar, que a pessoa que me trouxe a mensagem não sabe sobre minha vida pessoal, e a mensagem coincide com alguns fatos.

Recentemente minha mãe também o viu e ele trouxe minha avó para minha mãe matar as saudades (que faleceu em 71) e ainda disse para minha mãe que não sentia mais dores nas pernas, que estava curado (Só quem sabe a estória da nossa família sabe como minha vó se foi, e por isso, ele trazer ela para minha mãe ver faz muito sentido).

Até meu irmão que não é de falar nessas coisas também viu, conversou, e estava muito feliz quando me contou tudo isso.

Enfim, estou feliz que depois de quase 5 anos esteja novamente conosco, mas gostaria de saber o motivo, e espero sinceramente que não esteja vindo buscar ninguém hehe.

Te amo, Jose Bedotti!
Saudades!

Segue abaixo uma homenagem já postada aqui e justa ao ponto de merecer que eu poste de novo.


MEU QUERIDO ZÉ

Por onde tu andas meu querido Zé?
Debaixo dos braços do Senhor?
Em casa, tu deixastes teus pertences
E durante um tempo um pouco de sua dor.

No café da manhã sinto sua falta
Na hora do almoço falta um prato na mesa
De tarde sua cama está vazia
Mas de noite sua alma nos corteja

Você saiu sem ao menos poder se despedir
Talvez seja esse o meu motivo de mágoa
Não poder agradecer por tudo antes de você partir
Mas dizer que, um dia, essa saudade a gente mata

Você morreu para viver eternamente
Em alguma das moradas do Senhor
Caminhando com os pássaros livremente
E isso alivia minha dor

Hoje sabemos que estais bem melhor
Caminhando pela luz e buscando a sua merecida paz
Jamais esquecerei do nosso último encontro
Onde você me recebeu dizendo: “Você por aqui, rapaz?”

Ainda vejo seus olhos azuis quando me olho no espelho
Fico imaginando você passeando pelas "Palmeiras" em outra dimensão
Torço pra que um dia todos nós nos encontremos
Em algum Natal no meio do século XXI, em uma nova reunião.

Meu querido Zé, agora é hora de se despedir
Eu vou para os meus afazeres e você faça os seus por aí
Quem sabe essa noite eu não tenha uma nova visão?
E possa, de novo, receber a sua bênção

Jesus, eu lhe entrego meu Avô
Nunca o deixe sozinho, ele não merece sentir dor
Olhe por sua alma e ilumine seu caminho
E assim eu vou embora, sem preocupações e tranquilo.

Daniel Bedotti Serra
06/02/2007

5 comentários:

Prity disse...

que lindo poema. Sabe que fiz um para meu avó também? Um dia eu posto ele. Meu avô faleceu tbm e agora nesses dias da emoção dos dias dos pais a gente sente saudade né?
Um abraço!

Juliana disse...

Uma coisa é certa, né Dani, esses senhorzinhos estarão sempre presentes, dentro dos nossos corações!

Dea アンドレア disse...

Me arrepiou...
Isso mesmo, eles querem nos ajudar né, mas tb tem que seguir c a vidinha deles agora rs...
É tudo muito misterioso,
né? VCs todos da sua casa tem muita mediunidade? Ou só sua mãe?
Não entendi bem...

Anne Lieri disse...

Daniel,que linda visita de seu avô!Eu só encontro meus avós em sonho e temos longas conversas!...rsss...Vcs podem ter certeza que a presença dele é uma benção!Ficou maravilhosa e comovente sua poesia!Abraços,

Drizinha disse...

É Dani, vc sempre me emociona quando escreve sobre seu avô. Simplesmete lindo...e vc sabe que eu acredito no espiritismo, então não preciso dizer mais nada. Beijos