quinta-feira, 4 de dezembro de 2008



"L'OBSSERVATORE ROMANO"

No final do mês passado li uma notícia que me deixou perplexo, pela sua audácia, pela sua prepotência, em ainda achar que com tantos abusos ocorrendo debaixo dos seus olhos, como pedofilia por exemplo, ainda pode ditar as regras de uma sociedade sem ser questionado, sem ser discutido.

Estou falando do Vaticano.

Dia 21 de novembro, através do seu jornal "L'Obsservatore Romano", o Vaticano, segundo suas próprias palavras "absolveu" os Beatles, mais precisamente o jovem John Lennon, por ter declarado em 1966 que "os Beatles são mais populares que Jesus Cristo".

Porra, o que esperar de um jovem de 25 anos, que era integrante da maior banda daquela época (e que mais tarde tornou-se a maior banda de todos os tempos), que era inconsequente como qualquer outro jovem normal, que era contestador como qualquer outro jovem normal (não como a maioria dos jovens de hoje em dia, é claro). O que esperar? Que ele falasse a língua dos anjos? É claro que não.

Na verdade, o John estava falando sobre o Cristianismo, que ele achava que iria sumir até desaparecer, e no final soltou a frase bombástica por um único motivo que ninguém gosta de assumir, que era o fato dos Beatles estarem vendendo mais discos na Inglaterra do que a Bíblia (que é o livro mais vendido de todos os tempos). Ele só relatou um fato, que não era mentira. Foi realista, porém inocente. E enxergava esse fato com indignação, porque achava que os jovens não davam mais a mesma atenção a religião que ele achava que deveriam dar, por isso tinha certeza que o Cristianismo iria reduzir até sumir.

Não estou aqui como advogado dele porque amo sua música, ele deveria ter pensado nas consequências porque ainda vivemos num mundo hipócrita, imagina naquela época.

Fico triste de ver como o Vaticano é prepotente sobre questões externas e de pouca importância ao meu ver, sendo que todos nós sabemos que eles escondem diversas verdades, não combatem a pedofilia e ainda protegem os padres que praticam esse crime monstruoso e etc.. E depois acha que pode absolver alguém?! Pelo amor de Deus! Antigamente tudo bem, a gente era enganado, hoje não mais. Conta outra. Eu cago pra eles, assim como eles cagam pra mim. Meu Jesus está dentro de mim, pois é a minha consciência, tudo bem que de vez em quando esse meu Jesus deixa o Demônio fazer minha cabeça, mas ele sempre volta a tempo de me socorrer e fazer com que eu conserte a minha merda hehe

Já fui muito enganado, mas hoje não!



Daniel Bedotti Serra
03/12/2008

Um comentário:

Danfern disse...

Pois é....John e os demais Beatles não precisam do "perdão" da igreja... Deturparam o que Lennon falou, e isso já aconteceu tantas outras vezes depois...como mencionado aqui:

http://caiomattos.blogspot.com/2008/12/hoje-no-rock-28-anos-sem-lennon.html