terça-feira, 22 de julho de 2008

REFLEXÕES SOBRE A LEI QUE PROIBE DIRIGIR APÓS A INGESTÃO DE BEBIDAS ALCOÓLICAS

Após a entrada em vigor da nova lei federal nº 11.705/2008, apelidada como “Lei Seca”, que proíbe que o cidadão brasileiro dirija seu automóvel após ingerir bebida alcoólica fez com que eu refletisse sobre o tema querendo escrever esse texto aos leitores do Jornal Chega São Paulo fazendo algumas considerações.

É patente que algo haveria de ser feito para evitar milhares de mortes que vêm ocorrendo no Brasil pelo uso excessivo de bebida alcoólica, pois não há morte mais idiota do que a causada pela total falta de responsabilidade do ser humano. Até aí, tudo bem, e pelo que li através dos meios de comunicação as mortes já reduziram. Parabéns! Um avanço pelo bem estar da nossa sociedade.

Porém, o que me faz escrever esse artigo não é sobre a necessidade dessa lei que foi criada para prevenir mortes, mas sim, sobre outras prioridades que não vejo serem discutidas pelos nossos legisladores.

Essa lei assim como tantas outras são de suma importância para o Estado Democrático de Direito, mas será que os legisladores não estão se esquecendo de legislar sobre a corrupção que há entre nossos políticos, entre nossos policiais e outros diversos setores da nossa sociedade?

Entendo que existe uma doença corrompendo nossos políticos e policiais há anos, e que nada têm sido feito para acabar com esse “mal” instalado no nosso país. Sendo assim me surgem algumas indagações como: O que adianta você punir apenas o cidadão para melhorar um país uma vez que quem deveria dar o exemplo não dá? Como exigir uma fiscalização adequada de uma polícia despreparada que provavelmente obterá suborno ao invés de apreender o veículo e prender os condutores alcoolizados?

É óbvio que não me refiro a todos os policiais, assim como a todos os políticos, mas uma boa parcela deles são facilmente corrompidos. E assim a lei acaba por perder parte da sua finalidade porque condutores alcoolizados continuarão soltos descumprindo a lei. Desculpem-me, mas não tenho medo de falar a verdade e que me perdoem os bons políticos e policiais que existem. Na minha profissão é assim também, os bons pagam pelos maus. E está sendo assim também com essa nova lei, os bons condutores, mesmo aqueles que tem o hábito de beber, mas que dirigem com responsabilidade, estão pagando por aqueles que não conhecem seu limite e acabam por matar inocentes.

A fiscalização tem que ser eficaz e não vista como uma maneira de ganhar um dinheiro extra. Do contrário, aqueles que realmente precisam ter sua carteira suspensa por um ano continuarão a solta podendo a qualquer momento causar um acidente e fazer mais vítimas.

É aquela velha história de que quem tem dinheiro no Brasil sempre se dá bem. A lei é apenas para a camada mais fraca da população. E infelizmente somos a maioria.

Como já disse entendo que a lei é necessária, mas junto com essa e diversas outras leis precisamos de bons políticos (que são os representantes do povo), e ótimos policiais (que são os defensores da população), para combater a criminalidade. Nossos políticos já ganham o suficiente para trabalhar de maneira honrosa pela nossa população, mas nossos policiais não, ganham pouco para combater os criminosos que hoje são até mais preparados do que eles. Como exigir então que façam sua função com o mísero salário que ganham? Como exigir milagre desses policiais? Por essa razão, muitos se corrompem.

Também sou contra a combinação “álcool e direção”, mas também sou contra a combinação “políticos e policiais corruptos”. Esses devem ser banidos de uma vez por todas do nosso meio.

Se algo não for feito para eliminar a corrupção existente, de nada adiantará as leis que entram em vigor no nosso país, porque quem deveria fiscalizar não tem preparo para isso, e quem deveria legislar apenas legisla a seu favor.

Ao meu ver isso é prioridade também, e não apenas afunilar a população ao ponto em que já vivemos. Presos com medo de sair de casa pela falta de segurança. Presos pela falta de transporte público eficaz.

Uma questão que se esqueceram de considerar e que deveria caminhar junto com a nova lei é verba para melhorar a segurança e o transporte público, pois se não podemos mais tomar alguma bebida e dirigir, e com razão, precisamos de transporte público de qualidade e segurança nas ruas para poder exercer o nosso direito de ir e vir que está resguardado na nossa Constituição Federal.

Espero, ansiosamente, como bom cidadão e brasileiro patriota que sou, que um dia esse quadro absurdo desapareça e eu veja uma nova realidade no nosso país, para o bem da sociedade brasileira, dos meus filhos e dos meus netos que ainda virão.

Daniel
14/07/2008

Um comentário:

raTo! disse...

como já dizia o bom e velho dead fish: "legislar ou pedir pão, não seja tão honesto ou irá morrer".

não adianta, é o que falei, fazer blitz dá mais dinheiro do que prender ladrão.

abraxxx,