sexta-feira, 9 de abril de 2010


SONHO DYLANESCO LENNIANO

Um tempo frio e gostoso como o de hoje me faz querer a companhia dela, e um bom filme. 

Me deito atrás dela, agarrando-a bem forte, e adormeço em meio aos seus cabelos.

Sonho com o futuro, aproximadamente uns 20 anos à frente.

Lá eu tenho filhos, dois para ser mais exato, um casal, a menina é a mais velha. Uma esposa, uma carreira sólida e uma casa. Uma completa família. Com direito até a um cachorrinha que se chama Penny Lane. 

Fico surpreso quando me vejo ainda com o mesmo violão, sentado na cozinha, como fazia na companhia da minha mãe ainda com 25 anos, tocando e cantando You´ve got to hide your love away dos Beatles. 

Lennon compondo e cantando sob a influência de Dylan. Ao estilo de Dylan. É lindo de se ver e de ouvir.

Percebo que há coisas, jeitos, vícios, manias, defeitos, virtudes, que mantemos para o resto de nossas vidas.

DANIEL BEDOTTI SERRA

8 comentários:

Andrea Galvez disse...

Oi Daniel

Lindo teu post...verdade o tempo passa e muitas vezes ainda nos vemos em hábitos que são espasmos de anos anteriores.Que esta tua vida que você visualizou tão suave no teu texto seja cheia de momentos bons e lembranças grandiosas.

O frio é isso, pura nostalgia...:)

Bjo*

Bom findê pra ti*

Simplesmente Outono disse...

Certas coisas, vícios e manias, alguns defeitos e virtudes que não largaremos jamais simplesmente porque foram eles que nos fizeram chegar até aqui exatamente desse jeitinho que somos hoje.
"Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro". Clarice Lispector.
Saudade das tuas letras em minhas estação, sabia? Se puder não suma ou pelo menos não por tanto tempo assim. Com carinho, Simplesmente Outono.

Simplesmente Outono disse...

Inclui o teu contato no e-mail do blog. Só peço, por favor, que não divulgue, já que é algo bem restrito. Breve estará recebendo algo meu. Com carinho, Simplesmente Outono.

Simplesmente Outono disse...

Não disse absolutamente nada da boca pra fora, o que inclui principalmente a saudade que sabe deixar quando decide "sumir". Tenho também os meus dias em que acho tudo um saco e que nada vale à pena, porém preciso realizar sonhos, encontrar amores, escrever meu livro, ser mãe e por conseqüência tornar meus pais avós, enfim... te garanto que tudo num piscar de olhos passa novamente a valer ainda mais a pena. Fica a dica e conte sempre com minhas palavras.
Com muito carinho deste Outono.

Márcio Vandré disse...

Bom seria pensar sempre.
E ter a consciência da concretude do sonho.
Um abraço, cara!

Sarah Slowaska disse...

Senti uma brisa suave, fresca, aqui do outro lado...Que a sintas sempre por aí.

Beijo e um lindo findi*

EU SOU NEGUINHA disse...

Nossa,tão gostoso de ler...
show...
Beijocas e um lindo final de semana

Anne Lieri disse...

Daniel,um texto delicioso de ler,mostrando que as coisas simples da vida nos trazem muita felicidade!Grandes lembranças que alçam voos para o futuro!Bjs,