terça-feira, 27 de abril de 2010


PORQUE JULGAR?

No final das contas até o pior ser humano que existe na face da Terra é importante para alguém. Então, porque julgar? Porque decretar algo que não nos cabe? Deveríamos ser a semelhança do próximo. O verdadeiro espelho.

Mas como somos donos de uma razão insana que nos cega e nos destrói...

Apenas me dê uma arma (Happiness is a warm gun) que eu darei um tiro bem no rosto daquele safado que fez mal a mim e aos meus, e ao resto eu darei o meu precioso perdão.

Porque julgar?

DANIEL BEDOTTI SERRA

18 comentários:

cantinho she disse...

Olá, olá! Caramba esse assunto é mesmo complicado, pois existem situações e situações...bjo, bjo!

Anônimo disse...

por quê? porque nesse caso é separado.

Sarah Slowaska disse...

Julgamos porque sentimos a necessidade de nos sentirmos de alguma maneira, superiores ao ser julgado.
Por isso e por muitas outras coisas.
Como a "cantinho she" disse, existem situações e situações...

Um beijo!

Anne Lieri disse...

Daniel,tem gente que vive para julgar os outros!Mas quando aponta um dedo esquece que tem mais tres apontando para ela mesma!Texto reflexivo e muito polemico!Adorei mas nunca te vi tão bravo!Abraços,

Guilherme Manchini disse...

Opa Daniel,já puis o link la nos meus parceiros

Cra,continue com o sucesso que o blog merece !!!

Luciana Lís disse...

Julgar tbm funciona como um tipo de intolerância [que é um dos maiores males deste mundo]. Além de funcionar também como ignorância. Ou seja, só é misturado com o que não presta.
Gostei do post!

;*

p.s.: pus uma resposta pro teu comentário lá no meu blog! adorei teu senso de humor! \o/

Márcio Vandré disse...

Quando atirássemos estaríamos julgando arbitrariamente, não?
O processo é necessário para apurar as condutas, os fatos.
Desculpe, mas só entendi o sentido técnico do texto.
Um abraço!

Suelen Braga disse...

As vezes o julgar faz-se necessário... triste é ser condenado sem antes ter sido ouvido/julgado.

beijo =*

*lua* disse...

Olá ...

Passando ... gostei ... vou voltar

Quanto ao post ... me veio uma possível imagem de Jesus na cruz com olhar mais singelo, grandioso, puro e superior ... olhando os SEUS e pedindo à Deus para perdoá-los pois não tinham a menor idéia do que faziam ... e hoje ... continuamos muito, muito longe de sabermos ...

Daniel disse...

Exatamente Lua,

O que eu realmente quis expressar nessa postagem é que hoje julgamos e amanhã somos julgados. Não há verdade ou mentira. E apenas há uma verdade ou uma mentira dentro de nós mesmos.

E isso que eu expressei é a constatação do que você mesma disse... ou seja, que "continuamos muito, muito longe de sabermos..." o que fazer.

E não vejo isso como um defeito imperdoável, mas entendo que temos de nos policiar, para evitar estragos na vida alheia e antes de julgarmos pensar se fosse o contrário.

É aquela velha história de sempre. Se pensâssemos apenas na nossa vida e na de mais ninguém não seria assim. Mas sei que não é tão simples assim.

Daniel

Nova Civilização disse...

Amigo Daniel,

cada vez mais precisamos repensar em nossa história e relmente nos enxergarmos como espelho.Como semelhantes.Só assim teremos a chance de evoluir e nos encontrar nesse mundo...Enquanto agirmos pelo desejo de nos sentirmos cada vez mais superiores e mais merecedores que os outros cairemos cada vez mais .Só quando nos vemos em situação semelhante a dor do outro é que começamos a entender que somos todos iguais sombreados pelas diferenças que nos aproximam!

beijinhos

Gisele

Mônica disse...

Daniel
A mamae diz que as grandes datas tem oitavas. Então está na hora certa.
E ela está feliz de receber seu abraço;

Porque será que julgamos?
Eu detesto fazer pré juizo dos outros.
Principalmente com relação a crianças. Nem sempre elas são o que aparentam ser no primeiro dia. E elas nos superam de muito!
Agora nós julgarmos adultos? Para que?
A vida já nos acusa com tantas coisas insignificantes: saber conversar, saber comer, saber andar, saber escrever!
com carinho Monica
Estou com sono!

[ rod ] ® disse...

Julgar é correr o risco de não julgar. É correr na certeza de desdizer todas as possibilidades e voltar ao erro com aplausos~, mas por pior que pareça o gene fala e, às vezes, grita. Quando menos pensamos já estamos julgando a nós mesmos! procurando punição ou consolo, mas o equilíbrio é essencial. Julgar não! Abs meu caro amigo.

Anne Lieri disse...

Daniel,reli seu texto e entendi melhor o que quis dizer!Só nos preocupamos com a justiça quando é conosco ou nossos filhos e,se houvesse real preocupação com o coletivo,poderíamos mudar muita coisa nesse país!Perfeito!Sempre autentico e bem escrito texto!Abraços,

Danielle Macena disse...

Gostei muito do teu log... estou te seguindo...
da uma passadinha no meu depois.
Bjus

Danielle Macena disse...

Gostei muito do teu log... estou te seguindo...
da uma passadinha no meu depois.
Bjus

Olívia Yale disse...

De certa forma, podemos dizer que julga-se pois se julga correto. Em teoria é a melhor forma de se saber se alguem é culpado ou nao, bom ou mal, se presta ou nao.
Nao sei até que ponto o julgamento é bom, honroso e confiável, mas preciso acreditar que o é, pois se tudo o mais falha, preciso acreditar que quem é escória na sociedade está sendo, pelo menos, julgado!

Cris Teles disse...

lembrei de uma frase que gosto muito:

''Julgando mal você gasta tempo e energia
ao invés de levar a magia ao irmão teu''

Beijos!!