quarta-feira, 14 de janeiro de 2009


O CASULO

Vai filha, volta para os braços de Deus
Abandona este casulo que tão cedo adoeceu
Nada que for dito aqui farão as lágrimas dos que ficaram secar
À eles, a precoce ausência, nada justificará

Se for para nos enganarmos e tornar os dias a viver
Que pensemos então que a dor a essa hora já se foi
Remédios não serão mais necessários em sua recuperação
Nada mais é preciso fazer

A dor já não existe mais
Da prisão inesperada surgiu a liberdade eterna
Corra livremente, minha querida
Esqueça aquela estadia enferma

O que acha de caminhar ao lado de Jesus?
Ou nos campos de morango ao lado daqueles que já não estão mais aqui?
Com saudades todos aqui irão se lembrar
De você, para sempre

Um dia todos nos encontraremos
Em alguma das moradas do Senhor
Livres de qualquer dor, dinheiro, doença ou preconceito
Apenas sustentados pelo amor

O amor daquele que está acima disso tudo que vivenciamos
O amor que é superior às dores terrenas
O amor que um dia reencontrará a saudade com quem se foi
O amor, tão simples, como um mais um é dois

Cuidemos apenas da mãe que tão cedo não se conformará
Porque uma mãe nunca imagina que um filho um dia enterrará
Mas Deus sabe sempre o que faz
E também trará suporte para quem ficou a dor enfrentar

Um Adeus e até breve
É no máximo isso que devemos dizer
Porque os sábios sabem que em pouco tempo
Haverá um novo renascer

O renascer que livrará a todos da escuridão
Unirá novamente a família em uma nova reunião
Aqui ou em qualquer outro lugar
Mas no lugar certo, sem males, que possa atormentar

Vai com Deus


Daniel Bedotti Serra
14/01/2009

Um comentário:

Carol disse...

Muitoo lindoooo isso xuxuzinho...!
Nem sei oq dizer..!
Lindo.!
s2 s2
te amoooooooooooo!!!!