quarta-feira, 4 de junho de 2008

COM A AJUDA DOS AMIGOS
Quarta-feira passada, saindo do meu escritório, cansado depois de mais um dia de trabalho, indo com meu sócio tomar uma cerveja e comer um espeto no bairro do Ipiranga, me deparei com uma situação onde fiquei realmente pensativo e questionador do nosso modo de ver as coisas.
Já era noite e eu estava trafegando pela rua Coronel Diogo quando parei no semáforo. Eu estava ouvindo Beatles - a álbum Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band - com o som bem alto, porque é assim que gosto de ouvir música, e estava com os vidros da janela fechados por causa do frio, quando um mendigo, um senhor negro que sempre está pedindo esmolas nesse semáforo todos os dias veio até minha janela.
Com seus poucos dentes começou a gesticular na janela do meu carro, e eu para não ser mal educado pensei em abrir a janela para avisá-lo que não tinha nenhum trocado, então abaixei o som contra meu gosto já que amo ouvir música no carro sem ser incomodado, e abri a janela.
Assim que abaixei o vidro da minha janela já fui dizendo que não tinha dinheiro, e para minha surpresa ele se virou para mim e disse: "Que música maravilhosa, meu rapaz!". Era isso que ele queria me dizer, e não pedir uma esmola. E assim minha face caiu, eu gelei e fiquei pensando em como meus pensamentos haviam sido egoístas com aquele senhor. Sim, um senhor e não um mendigo. Pois ele é igual a mim, de carne, osso e espírito. Não é certo julgar alguém pela sua condição social, mas eu julguei e vejo que fiz isso diversas vezes, apesar de já ter doado roupas e feito outras caridades.
Fiquei triste comigo porque percebi que nós os ignoramos, sempre achamos que eles só sabem pedir esmola, que não trabalham, que são o lixo da sociedade, e não paramos para pensar que eles um dia tiveram uma história, uma casa e talvez até uma família.
Percebi que ele conhecia a música que estava tocando no meu carro pelo olhar nostalgico dele, com certeza relembrando tempos bons que se passaram.
Respondi meio sem graça que realmente era linda e assim que o semáforo se abriu eu arranquei pensando naquilo. Mais um erro, não consegui tratar aquele senhor com a dignidade que merecia, pois me escondi da nossa diferença, talvez pela aula que ele havia acabado de me dar.
Pra piorar mais ainda meu estado de espírito, umas vez que comecei a questionar a vida naquele mesmo instante, reparei que a música que tocava no meu carro se chama "With a little help from my friends", ou seja, "Com uma pequena ajuda dos amigos", e eu não fui capaz nem de abrir a janela sem antes julgar aquele senhor, quanto mais lhe dar um trocado (apesar que não acho certo) ou lhe dar algo para comer.
Quanta ironia me Deus!
Obs: Essa música é do seriado "Anos Incríveis", cantada pelo Joe Cocker, mas eu estava ouvindo a versão original na voz dos Beatles.
Daniel
30/05/2008

4 comentários:

raTo! disse...

caralho mano!

é a tal da vida nos dando lição a cada momento!

isto com certeza não mexeu só com vc, como mexerá com todos que lerem este seu depoimento.

porém, o que jamais podemos esquecer é que na cidade em que vivemos, infelizmente temos que se precaver, então não se culpe por isto, eu no seu lugar faria o mesmo.

Abraço!

Danfern disse...

Caramba.... músicas dos Beatles sempre nos dando lições, não é ?

Mas não se culpe tanto... vc ao menos fez o que muitos sequer fariam: abriu o vidro e tentou ouvir o que ele tinha a lhe dizer.... Sei que não é o ideal, mas...vc não foi indiferente, e isso já é bom.

Se o encontrar de novo.... fale com ele, sei lá... dê a música pra ele ouvir...

Mayara disse...

A primeira coisa q eu falei qdo li q o cara nao tava pedindo dinheiro e sim falando da música foi CARAMBA! pq eu tbm o julgaria de outra forma.. e é foda.. como o rato disse.. mais uma vez a vida nos dando uma lição..
foda..
bjussss

Waner disse...

Grande Daniel!!

Isso acontece porque são plantados "pre-conceitos" desde pequenos, onde tudo que é diferente aparenta uma coisa ruim . Em contrapartida, nesse mundo tão louco, vivemos sempre com o pé atrás....Não tem jeito...

Abraços