quinta-feira, 4 de agosto de 2011


VALEU A PENA?

Meus ideais perderam a força.
Como um Sansão sem cabelos eu caminho.
E quanto mais eu caminho, mais me enojo, menos suporto a cruz que está nas minhas costas. 
Penso e me arrependo de um dia ter acreditado. Então melhor não pensar.
Creditei Fé.
Creditei Pecado.
Creditei Amor.
Creditei Errado
Creditei Paz.
Creditei Suor. 
Eu fiz juras de amor eterno.
Eu fiz juras de fidelidade.
Ajudei os pobres e os ricos.
Fui honesto quando me beneficiaria muito mais sendo o contrário.
Eu carreguei um fardo pelo próximo... e o que eu ganhei?
Nem um centavo...
O que estão ganhando nas minhas costas?
Me arrependi de ter acreditado no ditado... "que caminhar com fé e com honestidade vale a pena."
Valeu a pena?
Caminhei sobre pedras destruídas.
Levantei uma bandeira manchada pela corrupção desde o princípio do país. O princípio do fim. 
Comecei assim. Morrerei assim. Cansado e com contas a pagar. Deixando dívidas para os descendentes.
Pagando para morrer.
Estou sob uma linha precisando decidir qual jogo devo jogar. Para que lado pular? Não será um precipício?

DANIEL BEDOTTI SERRA

5 comentários:

Leonardo disse...

Mas claro que valeu...

Mônica disse...

Daniel
Sabe que voce me fez lembrar de papai?
Pouco antes de morrer ele conversando com um dos meus tios disse: Que ficou com pesar de não ter ensinado pra gente um pouco de esperteza, porque o mundo está cheio de gente esperta.
Mas eu agradeço a Deus por ser assim. Nossa palavra é a mesma coisa que um documento. E somos seis a ser assim.
Seja assim como voce já demonstra ser passe para sua filha toda a fé neste mundo e em Ctisto.
Ela vai gostar cada dia mais deste pai maravilhoso que és.
com carinho Monica

Eduardo Medeiros disse...

oi daniel, tudo bem?

cara, teu poema nos leva a profundas reflexões sobre valores e sobre o "valor dos valores".

creio que sempre vale a pena fazer o certo, ainda que o errado esteja ao nosso redor. de que adianta? no meu caso, adianta para mim.

mas também não sou aquele puritano moralista que se gaba de fazer o certo, pois muitas vezes, não faço o que é certo e faço o errado.

mas até fazer o errado faz parte da caminhada. aprender com os erros também. querer fazer o certo, querer fazer o bem. isso é o que importa. e que o mundo se dane em sua convulsiva queda.

o meu mundo interior é o que importa. e o que eu produzo no meu mundo exterior que orbita minha vida.

abraços

GarçaReal disse...

Na nossa caminhada existem tantas momentos em pisamos errado e subimos os degraus que talvez fossem para descer.
Mas a fé , o amor e os ensinamentos ajudam-nos a olhar ao longe e vislumbrar o caminho que para nós é o mais certo.

Bom domingo

Bjgrande do Lago

Luciana disse...

Valeu sim Daniel.