terça-feira, 16 de fevereiro de 2010


ZIRIGUIDUM

Ziriguidum do século 20
Sambista de primeira estirpe
Morreu no meio da Sapucaí
Afinal, todo carnaval tem o seu fim

DANIEL BEDOTTI SERRA

3 comentários:

Anne Lieri disse...

Daniel,acho que o sonho de todo sambista é morrer no meio da avenida sambando!Bela poesia!Abraços,

Silvana Nunes .'. disse...

Boa tarde.
Ziriguidum pra você também ... rs
Como foi de carnaval? Passeou ou pulou ?
Como se não bastasse estar bloqueada para adicionar ( quando tento aparece uma mensagem dizendo que o priprietário do blog proibiu a minha entrada no site), agora sumiu aquele link onde as pessoas pegavam para colocar na página. Se você a vir por estes blogs, me avisa para que possa recuperar.cada hora que abro a página tem uma novidade.
Pior de tudo é que para achar vocês é um horror, porque todos os links sumiram da minha página. Tenho que esperar que venham até aqui para chegar até vocês.
Beijo

Laís D'Ponte disse...

"Todo carnaval tem seu fim..."

Sim, sim!

"Toda trilha é andada com a fé de quem crê no ditado
De que o dia insiste em nascer..."

Brinquemos de ser feliz!

Beijão, Daniel!