segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010


A DAY IN THE LIFE

A noite estava agradável, mas pouco saudável.
O excesso me faz esquecer, e assim eu adoeço, aos poucos.

Não é diariamente, mas o suficiente.
Eu não estourei os miolos no poste.
Mas é hora de pensar!
Ter força de vontade.
Controlar!
Para não estragar, JAMAIS, os ótimos momentos que estou vivendo.

Amigos que rodeiam e fazem diferença.
Inimigos que já não me fazem perder o sono me encantam também.
Talvez seja apenas a minha bondade retornando ao lugar de antigamente. Talvez seja o conformismo. Não sei!

Barrados pela fiscalização eu me senti vigiado, como se estivesse fazendo algo errado, e não gosto de me sentir assim. Bem no dia que eu estava fazendo arte no seu sentido literal.

Paciência!

9 mil buracos nas ruas de São Paulo. E a fiscalização para isso?

DANIEL BEDOTTI SERRA

14 comentários:

Mariah disse...

pode ser perigoso fazer arte...mas pode ser também muito gostoso!

olha o bafômetro aí gente!

Márcio Vandré disse...

Confiança para não deixar os fantasmas abalarem a postura.
E seguir em frente, porque trabalho não falta.
Só para os preguiçosos.
Um abraço!

O Árabe disse...

Dias em nossa vida, sim... um após o outro. Mas é importante lembrar, sempre, que cada um pode ser o último... para que melhor os possamos viver. :) Meu abraço, boa semana!

duda disse...

ninguém vale nossos milos estampando um poste!

Anne Lieri disse...

Daniel,um texto forte Texto mas precisamos tomar cuidado com os excessos nossos e dos outros,tomar cuidado com os postes,porque eles tb nos atropelam!E a cidade está mesmo um queijo todo esburacado!Abraços,

Fa menor disse...

Todos os nossos dias devem ser vividos com arte, mais ou menos literal, mas a verdadeira vida está na arte de a saber viver!

Bjos

Silvana Nunes .'. disse...

FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... dando uma espiada no seu trabalho.
Gostei daqui.
Uma boa semana para você.
Saudações Florestais !

Prity disse...

Dá bola, não. Segue na estrada com o som mais alto, a espinha ereta e o coração tranquilo....

Érica disse...

Buraco nas ruas é? Chega por aqui... Que ai eu te mostro o que é descaso.
Enquanto admirar seus inimigos, você faz bem, abstrair. Evoluir.

Voltei, tava sentindo saudade daqui.

Beijos

Se7e/5 disse...

Numa noite quente e cheia de tesão estava necessitada de um duro e quente "rolinho de carne" bem dentro da caverna húmida do amor, entrou num barzeco e, foda-se!!, que moço lindo, uma autêntica obra de arte, perfeito e, saltava ás vistas, lindo, lindo, lindo! Um Adônis único com todas as letrinhas do desejo e tentação. Aproximei daquela montanha de beleza e tentei a sorte: -Você quer..., -ainda nem tinha bem articulado a palavra seguinte e já aquele corpão de bronze suado me arrastava para fora do bar. Meio desmaiada de emoção, recobrei meus sentidos num quarto excelente de hotel. Vá livrando da roupa, disse o pedação, e eu livrei, ficando nuinha e brilhando num calor intenso entre minhas coxas que já se escancaravam para receber o “rolão duro de carne”. Quando o gatão começou a despir-se...
O restinho???, nã, nã... só lá no se7e/5

Sun disse...

Buracos? Em São Paulo? Naah, é invenção sua ! rsrs

Menina Misteriosa disse...

Putz...
Eu adoro fazer arte, então, sou suspeita pra falar! ;)
Beijos

http://meninamisteriosa.wordpress.com/
http://www.aceuabertodaboca.blogspot.com/

Nova Civilização disse...

Às vezes nos sentimos assim... mas essa sensações também são boas pois nos ajudam na construção de pensamentos que realmente nos motivam e nos fazem enxergar a vida de uma outra vivência. Com outro enfoque.Fazendo arte como você mesmo escreveu e iluminando!


beijinhos,

Gisele.

Mônica disse...

Daniel
Buracoes estão por toda parte. Fui visitar meus amigos e fiquei pasma. Nossa estrada está ruim mesmo desde as da zona rural, onde fui na casa de uma comadre até a de Juiz de Fora.
Mas será que ós nossos governantes só andam de avião?
Com carinho Monica