domingo, 6 de dezembro de 2009


CONSTRANGEDORA E INJUSTA!

Era apenas mais um dia de diversão, mas na saída do bar, ao entrar no carro, um sujeito anuncia sua má intenção, e transtornado ele reage. Um tiro no escuro, um grito longe da multidão e o som de passos largos que diminuem a cada nova passada. Passou!

A camiseta que era branca virou vermelha.
O rosto que estava divertido agora estava em pânico.
O corpo que era forte estava encostado no carro sem forças.
Medo!
Muito medo de morrer.
E antes mesmo de amanhacer ele já não existia mais.

Seus sonhos foram deixados de lado por outrem que decidiu seu destino. Injusto! Injusta é essa vida.

A namorada que era plano de casamento deixou de ser.
O afilhado que iria ver no domingo seguinte ficou esperando.
Os pais que morreriam primeiro estavam um filho enterrando.

Está errado!
Fora de ordem!
Fora de controle!

A morte é constrangedora.
Onde já se viu desabar no meio da rua, sem ação alguma, com o sangue escorrendo pelo corpo e pelo chão, com desconhecidos olhando como se um indigente fosse.

A morte é constrangedora e injusta.

DANIEL BEDOTTI SERRA

19 comentários:

Marcelo Mayer disse...

viver desta maneira com essas situações é mais constrangedora ainda

Érica disse...

É medonho tudo isso.
É inconsolável, trágico, cretino. Acho que ainda não existe palavra que descreva tal absurdo.
É triste... Mas é verdade.
Viver não é fácil mesmo.
Beijos

Anne Lieri disse...

Daniel,que história mais triste e chocante!Uma realidade diaria na nossa cidade e em todo país!Eu tb não entendo como alguem tem coragem de tirar a vida de uma pessoa assim,de bobeira...ás vezes,a vida nos prega peças muito confusas!Abraços e parabéns pelo belíssimo texto!

ana wants revenge disse...

Sinisto neh...
Outro dia passei por um susto terrivel, parei em um estacionamento e desci do carro em pleno assalto, era com outra pessoa mas qdo vi estava lá no meio das armas. Tive muita frieza na hora, consegui fugir e me proteger. Muita sorte.

Hoje vendo os videos da camera de seguranca aquele dia, percebo como o nosso instinto de sobrevivencia é forte.

Beijos :)
.
.
.

Kurt Zampieri disse...

E de pensar que ele é "só" mais um dentre tantas outras vítimas da violência...

Belo post!

Nova Civilização disse...

Daniel,

Essa insegurança que vivemos é que nos leva a uma morte contrangedora e injusta. Morrer assim é ser retirado brutalmete da vida ! e não uma consequência da qual sabemos que um dia todos iremos morrer.

Muito triste...mas é bom refletirmos sempre, pois a vida é um dom maravilhoso que nos foi dado e defendê-la e mais que necessário!

beijinhos,

Gisele

Mônica disse...

Daniel
Deste jeito que descreveu é mesmo. Mas sabe que não tenho medo de morrer?
tenho medo de dar trabalho, isto sim.
Estive em Santo Antonio do Anmparo sem internet e com muita saudade de voces.
E ainda por cima esta estragadda. saó tenho mais alguns minutos por aqui.
Queria saber das novidades!
Com carinho Monica
Lembranças pára sua namorada

Katrina disse...

Ai cara, me lembrou o começo o que aconteceu com o Bortolloto, to inconformada, conhecia o cara.

O Árabe disse...

É, Daniel. Mas, talvez, nem tanto a situação que nos permitimos atravessar. :( Boa semana, meu abraço.

Sandra ' disse...

Pois é. O que me preocupa é o facto de este cenário ser tão comum, que nada disso me surpreende mais.
A única solução que encontro e que me acalma minimamente por dentro, é pensar que nenhuma vida foi levada em vão. Que existirá, em algum lugar, num determinado momento, uma explicação para isso tudo.

Quem sou eu? disse...

É realmente inaceitável. Mas agora eu questiono: quem somos nós para falarmos de justiça? Se nem os gregos, que foram um dos primeiros povos a criarem a noção de direito, dever e justiça, conseguiram ser justos entre eles?

Penso que, uma das poucas coisas justas na vida, é a morte. A morte não é injusta, injusta é, muitas vezes, a forma que se morre.


Fique em paz*

Daniel disse...

Mas foi exatamente isso que eu quis dizer. Sobre a maneira como se morre, que é a do exemplo que eu dei acima. Aliás, isso nem é mais exemplo, é realidade.
abs

Conspiração Ideológica disse...

O sentimento de injustiça é um dos mais agudos que podemos ter. Quando nos sentimos injustiçado, seja pela visita da morte, seja por qualquer motivo, a revolta toma conta e é realmente muito difícil não sucumbir a esse sentimento e, posteriormente, a vingança.

Fernanda. disse...

Você me fez chorar, me fez lembrar de algo que já não doia. Acho injusto também, e preciso conviver com isso. Essa louca vontade de gritar e de ter de volta..

não tenho.


Belo texto.

:*

Jaqueline disse...

Belissimo texto gurizinho...(se achando intima né... kkkk)
Hoje quando cheguei para trabalhar, estava um alvoroço de policial... O morador do lado havia de suicidado..
20 anos e muito droga na cabeça, se pendurou numa corda e pronto... Acabou tudo...
Fiquei assustada, o dia inteiro pensando em como a vida é nada.. em como somos pó...
Essa parte que vc fala sobre a ordem... Sempre dizem que a morte é burra, escrevi um post sobre isso
(http://jaquelineeopaisdasmaravilhas.blogspot.com/2009/10/para-o-meu-pai-onde-ele-estiver.html).
Enfim... Seu texto me fez refletir muito sobre o que é a vida e o que tenho feito da minha...

Daniel disse...

Desculpa Fernanda, juro que não foi minha intenção. Eu já vi isso acontecer com o pai de um amigo meu que infelizmente se foi. E meu tio tb tomou um tiro mas Graças a Deus sobreviveu.
Minha intenção com essa postagem foi apenas falar de outro modo sobre a insegurança.

Beijos

Tata disse...

Oie,

Infelizmente em nosso país isso tem se tornado frequente.

Uma morte injusta , constrangedora e só por quere viver! Uma absurdo , né?

bjinhos

Laís D'Ponte disse...

É, Daniel, você descreveu uma cena que, infelizmente, faz parte do cotidiano. =(
Quantas pessoas que se vão assim, não é mesmo? Planos interrompidos injustamente...


Beijão!! Tenha uma semana iluminada!!!

Rosa disse...

A morte é injusta chega sem avisar, não tem dia nem hora. É a única certeza que temos na vida, porém inaceitável.

Parabéns Daniel pela postage!
Bjs!!!