terça-feira, 13 de maio de 2008

CEMITÉRIO DOS INOCENTES

Aqui jaz mais uma criança inocente
Nunca viu roupas limpas, nunca soube o que é higiene
Os pais nem podemos considerar como parentes
Talvez nem como gentes

Aqui no mundo dos maus só morre gente de bem
Bem, pelo menos é o que dizem pra gente
Gente que segue uma vida infeliz
Gente que segue uma vida indecente

Aqui na cidade dos inocentes
Há diversas estórias de terror
Sobre homens que comem criancinhas
Sobre mulheres que morrem sem um único amor

Amor? Que amor pode existir nesse lugar?
Se não há compaixão, nem lugar para respirar?
Se não há eleição?
Muito menos governante para governar?

Alguns dizem até que é a morada do Anjo que caiu do céu
Aquele que enfrentou o "Todo Poderoso" numa batalha que apenas "um" venceria
Esse mesmo. Na verdade Deus não venceu
Deus apenas o expulsou do céu e ele não morreu
Provavelmente está disfarçado em algum lugar por aí
No meio do breu

Esse Anjo foi parar na cidade dos inocentes e fez da vida dos homens que ali viviam em paz um inferno
Destruindo a vontade de viver dessas pessoas deixando-as inertes
Matando de forma brutal suas crianças
Estuprando até a morte suas mulheres

Na vila do terror
Você encontra restos mortais pelas ruas
No canto das calçadas
Na porta de qualquer espelunca

Essa mesma carne perto das calçadas
Chega a ser alimento para os animais
Cães, corvos e crianças esfomeadas
Disputam para ver quem come mais

Os homens parecem loucos sob efeito de alguma droga
Praticam atos de bruxaria em plena luz do dia
Enquanto as mulheres e as crianças são as maiores vítimas
Vítimas de uma força do mal, vítimas de bruxaria

Segundo as línguas daqueles que estão isentos a isso
Só os fracos ficam sob esse feitiço
Por não terem o controle emocional adequado
Por não terem paz de espírito

Alegam ainda que tudo isso pode ser um sonho hipnótico causado por Deus
Experimentado apenas por aqueles que estão em dívida com o plano superior por terem sido ruins em outras vidas
E que o Demônio nada mais é do que a punição do Senhor sob a cabeça dos pecadores
Sob a vida dos pecadores

A cidade dos inocentes jamais existiu
Ela existe como milhares de cidades no mundo
Onde o homem destrói o que constrói
E se depara depois com o sofrimento que ele mesmo construiu

Quase todos os dias eu invento uma cidade dos inocentes
Sempre que me jogo para baixo, ou sempre que dou com a língua nos dentes
Esse estado de medo com certeza é algo produzido pela mente
E desde que você seja um eterno inocente você não precisará morrer e acabar no cemitério dos inocentes.


Daniel Bedotti Serra
07/02/2008

3 comentários:

. Cáh . disse...

=D

xuxuzinhuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu
LindOOOOOOOOOOOOOOOO!

raTo! disse...

ae Drão!

gostei das palavras q vc escreveu sobre meu último texto!

valeu mesmo!

abraxxx

Juliana disse...

Intromissaão perdoada heheehhee
gostei daqui também e Oasis é d!!

abraços