segunda-feira, 8 de junho de 2009


ENQUANTO HOUVER SOL...

Quanto mais o tempo passa mais sinto a necessidade de olhar apenas para mim, seguir meus passos sem depender de ninguém, e antes de ajudar alguém, aprendi que devo perguntar a mim mesmo se preciso de algo antes, simplesmente pelo fato de que ninguém faz nada de graça, nada é gratuito, e quanto menos esperamos das pessoas nos decepcionamos menos, muito menos (soou engraçado esse "muito menos" rsrs).

Não tenho muito o que dizer hoje, isso é apenas a descrição do meu estado de espírito, e como todo estado de espírito, ele é momentâneo, nada mais que isso, mas que não deixa de ser verdade o que disse acima. O que importa é que daqui a pouco estou em outro minuto, logo depois em outra hora, e um novo dia nasce, e mesmo nesse tempo frio o sol ainda insiste em nascer, por essa razão ele é minha maior fonte de inspiração pra batalhar os dias ultimamente.

Estou feliz como nunca estive com meu trabalho, e isso é o mais importante. Pessoas vêm e vão, conforme a conveniência delas, mas eu sempre estive aqui, na mesma casa desde os tempos de menino, com os mesmos jeitos e defeitos, mas transparente como sempre. É possível ver meu coração olhando para mim, ou através dos meus olhos. Não há segredos a esconder do mundo, nem de ninguém.


DANIEL BEDOTTI SERRA

3 comentários:

ju mancin disse...

acredite! acredite nas pessoas!!!
no fundo, no fundo o mundo é bão [sebastião!]

Anne Lieri disse...

Daniel,é preciso estar em contato com nosso interior para depois trocarmos com os outros.Isso é natural e saudavel aos seres humanos!Excelente seu texto!Abraços,

Juliana disse...

É uma fase, geralmente, vinda depois de uma outra, cheia de dedicações e abnegações. Mas essa fase é boa, estou nela também... mas só para refletir, não para mudar a essência, esse é o diferencial.