terça-feira, 1 de novembro de 2011


HÁ TEMPOS
.
Parece cocaína, mas é só tristeza
Talvez tua cidade...
Muitos temores nascem do cansaço e da solidão
Descompasso, desperdício...
Herdeiros são agora da virtude que perdemos...
Há tempos tive um sonho
Não me lembro, não me lembro...
.
Tua tristeza é tão exata e hoje o dia é tão bonito
Já estamos acostumados a não termos mais nem isso...
Os sonhos vêm e os sonhos vão e o resto é imperfeito...
Dissestes que se tua voz tivesse força igual à imensa dor que sentes
Teu grito acordaria não só a tua casa, mas a vizinhança inteira...
E há tempos nem os santos têm ao certo a medida da maldade
E há tempos são os jovens são os jovens que adoecem
E há tempos o encanto está ausente e há ferrugem nos sorrisos
Só o acaso estende os braços a quem procura abrigo e proteção...
Meu amor!
.
Disciplina é liberdade
Compaixão é fortaleza
Ter bondade é ter coragem (Ela disse)
Lá em casa tem um poço, mas a água é muito limpa...
.
LEGIÃO URBANA

3 comentários:

O Árabe disse...

Bela letra, Daniel. Mais uma boa escolha! :) Meu abraço, bom resto de semana.

Érica disse...

Arretado demais!!! Como tudo criado por essa banda incomparável.

Beijos

Leonardo disse...

Quem nunca se perguntou o que significa a última frase dessa música ?!

Bela lembrança.

Abraço,
Leonardo
http://leonardo-bianchi.blogspot.com/